Por que um

***

Quer tenha sido nas paredes de uma caverna, numa placa de argila, sobre pedras, em um papiro, na forma de nós de um cordão (quipus), em papel ou em qualquer outro instrumento, o homem sempre utilizou algum meio que lhe pudesse servir como um arquivo de suas ideias, discursos e impressões de momentos vivenciados.

O diário de papel foi a garantia de se ter um arquivo móvel do registro de fatos, costumes, aventuras, experiências e sensações, evitando-se que se perdesse na memória em meio ao turbilhão de lembranças e circunstâncias ao longo dos anos.

Esses registros muitas vezes têm um caráter informativo e usam uma linguagem mais formal, onde o autor e o destinatário podem ser diferentes, outros, de cunho confessional, têm os sentimentos e emoções extravasados no abuso de metáforas. Neste caso, não raro, o autor e o destinatário são a mesma pessoa. Porém, a grande maioria prioriza o equilíbrio e uma linguagem coloquial para as suas compilações do dia a dia.

Com a evolução da tecnologia e a entrada da internet no cotidiano das pessoas, a forma do homem fazer os seus registros não saiu impune às transformações do mundo contemporâneo. Desta forma, o diário de papel passou, gradativamente, a ser substituído pelo diário virtual.

E assim surgiu o BLOG, que é a contração do termo weblog. Trata-se de um site cuja estrutura permite a escrita de artigos ou "post", de rápida atualização a partir de acréscimos que são digitados. São, geralmente, organizados de forma cronológica inversa na página, onde o primeiro post fica localizado no final e a informação mais atual vai para o topo, aparecendo na primeira posição.
 

Atualmente, num blog, pode-se combinar textos, imagens e links para outros blogs, páginas da web e outras mídias relacionadas com o seu tema. Muitos deles permitem que os leitores deixem comentários, de forma que haja uma ampla interação entre o autor e diversas pessoas, que podem estar nos lugares mais longínquos da Terra. Bem diferente daquele ato solitário dos diários de antigamente.

Alguns blogs podem ter mais de um autor e abordam os mais variados temas. Eu escolhi ser autora de um e ter como tema o relato de minhas andanças pelo mundo.
 

Demorei um pouco para construir essas páginas, especialmente pela inibição para o ato da escrita. Mas, depois de ter lido alguns blogs sobre viagens, senti-me estimulada para dar o passo inicial. Assim, resolvi aqui deixar registrado, por escrito e em imagens, o que vi, o que senti, o que li, o que ouvi e o que falei por onde andei. Além de, aqui, ali e acolá salpicar algumas dicas sobre como se preparar para uma viagem. 

Minhas opiniões não são técnicas, não sou profissional da área de turismo, apenas mais uma viajante, que começa o seu trajeto bem antes de cair na estrada, com estudo e pesquisas e não tem no seu retorno o fim de uma viagem, pois ela se perpetua nas recordações do que vivi em cada lugar por onde passei.


As fotografias postadas são de minha autoria, salvo algumas exceções onde utilizo imagens para ilustrar algum texto. Neste caso, serão identificadas com os devidos créditos. Quando forem de domínio público ou autor desconhecido terão suas legendas assinaladas desta forma ***
  

                     Venha comigo!

Márcia Ramos




“Daqui vinte anos você estará mais decepcionado pelas coisas que você não fez do que pelas coisas que você fez. Portanto lance fora as amarras. Navegue longe dos portos seguros. Pegue os ventos da aventura em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra.”
                                                                                           Mark Twain 

Nenhum comentário:

Islamização da Pérsia

Para disseminar o Islã, Maomé e, principalmente, seus sucessores agregaram multidões de fieis e se lançaram à conquista de novos territóri...

Mais Populares